Aprenda Como Fazer Design Sprint: Passo-a-Passo com Exemplos Reais Criados Em Nosso Centro de Inovação

por | 24 jan 2020

Por Natália Pauletto Fragalle e Paulo Ricardo Souza da Silva

Você sabe o que é Design Sprint? Já ouviu falar, mas não sabe como funciona? Tem dúvidas sobre a eficiência e os resultados obtidos?

Saiba mais sobre essa metodologia que vem sendo utilizada em pequenas e grandes organizações em todo o mundo neste artigo escrito pelo time de facilitadores de Design Sprint do ONOVOLAB. 

O que Significa Design Sprint

Design Sprint é um processo de design colaborativo e estruturado que tem como objetivo reunir uma equipe multidisciplinar de pessoas para entender e resolver grandes desafios em apenas cinco dias.

A metodologia foi desenvolvida pela GV – braço de investimentos de capital de risco ligado à Google – e disseminada mundialmente após a publicação do livro Sprint (2016), escrito por Jake Knapp, John Zeratsky e Braden Kowitz. 

Atualmente, a Design Sprint tem sido utilizada como ferramenta de validação de hipóteses de solução de problemas em pequenas e grandes empresas.

Com isso, a metodologia original evoluindo constantemente para se adaptar às necessidades de um mercado que tenta cada vez mais se adequar ao modus operandi das startups, marcado pela validação rápida de ideias para a iteração das soluções. 

Qual o Objetivo da Design Sprint

A Design Sprint é composta por uma sequência de atividades que têm como objetivo entender o desafio a ser encarado, construir uma ideia solução de forma colaborativa, medir a sua eficácia através de testes com os usuários reais e aprender com os feedbacks coletados.

Através da Design Sprint é possível descobrir de maneira ágil se a ideia que se pretende desenvolver para solucionar um problema e atingir um objetivo a longo prazo é válida.

O objetivo é conseguir comprimir semanas ou até meses de discussões, finalizando uma semana de trabalho com ações priorizadas e metrificadas.

Como Fazer Design Sprint Passo-a-Passo

Antes de se iniciar uma Design Sprint, é preciso, primeiro, definir alguns papéis. Os facilitadores não participam das atividades, mas são os responsáveis por guiar todo o processo e conduzir o tempo para se tire o máximo de proveito das atividades. 

Já os realizadores são aqueles que participam ativamente e executam todas as atividades, conduzidos pelos facilitadores em cada uma das etapas da Design Sprint. 

O definidor é quem dá o voto final pela equipe nas decisões mais importantes. Pode ser o CEO, ou mesmo o dono do projeto em questão. O definidor não precisa estar presente durante toda a Sprint, mas a sua presença é imprescindível nos dois primeiros dias. 

Os especialistas são as pessoas que possuem um bom conhecimento do desafio proposto para a Design Sprint. Normalmente, a equipe de realizadores já é composta por vários especialistas, mas é possível convidar alguns participantes externos para que eles possam construbuir com informações importantes e mais detalhadas. 

O usuário é convidado a participar do quarto dia da Design Sprint para testar a solução desenvolvida e dar a sua opinião sobre ela. Ele pode ser tanto um cliente externo quanto interno da organização ou empresa, dependendo do caso. 

Assim, como na metodologia original desenvolvida pela GV, a Design Sprint realizada pelo time ONOVOLAB também tem duração de cinco dias. Porém, reorganizamos a distribuição das atividades ao longo da semana para que o último dia seja dedicado inteiramente à construção dos próximos passos. 

A semana da Design Sprint realizada pelo time ONOVOLAB.

Segunda Feira: Entender

O primeiro dia da Design Sprint é focado na definição do desafio principal a ser encarado e do objetivo a longo prazo. Além disso, realiza-se o mapeamento dos principais pontos de contato entre o produto/serviço e o usuário ligado ao desafio trabalhado na Design Sprint.

A atividade de mapeamento das jornadas.

O dia finaliza com a geração das primeiras ideias individuais de possíveis soluções para o problema, que serão analisadas e votadas pelos realizadores com a ajuda do definidor no dia seguinte. 

Terça-Feira: Definir

No segundo dia, as ideias individuais são votadas e aquela que possui maior potencial é escolhida pelo definidor, incluindo parte de outros esboços que possam contribuir para o desenvolvimento da ideia principal. 

Votação das ideias com maior potencial.

Tal ideia é, então, melhor detalhada pelo grupo de realizadores com a elaboração de um fluxo de ações e, finalmente, de um storyboard detalhado das interações entre usuário e solução. 

Quarta-Feira: Construir

O terceiro dia da Design Sprint é dedicado à construção do protótipo navegável que tem como objetivo testar a ideia desenvolvida com usuários reais. Além disso, o dia é também dedicado à elaboração do roteiro dos testes a serem conduzidos.

Para isso logo no início do dia são definidos alguns papéis entre a equipe de realizadores. O designer pensa no design do protótipo, o escritor elabora todos os conteúdos de texto e diálogos, o coletor garante as imagens necessárias e o entrevistador fica responsável por criar o roteiro de entrevistas.

Construção do protótipo.

É importante ressaltar que a solução desenvolvida não necessariamente precisa ser digital e existem várias maneiras de se construir um protótipo. 

Um exemplo presente no livro Sprint, detalha a criação de um protótipo físico para a One Medical Group, uma clínica médica voltada para profissionais que desejava ampliar seu público e atender famílias com crianças. 

Durante a Design Sprint, a equipe simulou uma clínica familiar em uma das suas sedes, adaptando o espaço físico de forma a preservar sua estética sofisticada e conhecida entre os seus clientes, porém com um toque de interesse para as crianças. 

Uma vez desenvolvido o protótipo, o time deve revisá-lo, identificando possíveis erros. É importante que os entrevistadores e também o Definidor consigam avaliar o protótipo antes dos testes do dia seguinte.

Quinta-Feira: Testar

No quarto dia da Design Sprint, é hora de testar o protótipo da solução desenvolvida ao longo da semana com os usuários reais.

Primeiramente, realiza-se uma simulação de teste para que todos possam aprender como entrevistar os usuários de forma não enviesada e para que potenciais problemas com o protótipo possam ser ajustados.

Em seguida, o time de realizadores conduz ao menos cinco testes ao longo do dia (cada teste dura em média de 30 a 40 minutos), colhendo a maior quantidade de feedback possível sobre a hipótese de solução desenvolvida.

Teste do protótipo com usuários reais.

Sexta-Feira: Aprender

No último dia da Design Sprint, chegou o momento de organizar as informações coletadas nos testes para que se possa priorizar as ações a serem desenvolvidas de agora em diante. 

Os fatos relatados pelos usuários são interpretados pela equipe, transformando-se em insights que geram oportunidades de ação frente ao problema da sprint de forma a atingir o objetivo a longo prazo. 

As ações desenvolvidas são, então, priorizadas de acordo com o seu impacto relacionado à solução do problema e o esforço necessário para a sua realização.  

Priorização utilizando a matriz de impacto e esforço.

Finalmente, as ações com maior impacto e menor esforço são transformadas em experimentos a serem conduzidos após a Design Sprint. 

Para cada experimento, são listados os passos viáveis para a sua realização, as formas de mensurar os resultados e o prazo para finalizá-lo. 

As atividades deste dia diferem da metodologia original e foram elaboradas pelo time ONOVOLAB de forma a transformar as ideias desenvolvidas durante a Design Sprint em oportunidades de ação que podem ser iniciadas imediatamente. 

Essa Metodologia Design Sprint Funciona Mesmo?

Ao final da Design Sprint, a equipe terá desenvolvido um protótipo navegável da ideia de solução gerada de forma colaborativa que terá sido testado e validado com usuários reais.

A solução idealizada na Design Sprint poderá ser iterada para se transformar em um produto mínimo viável a ser lançado no mercado, mas principalmente servirá como um meio para que ações de maior impacto e menor esforço possam se concretizar rapidamente. 

Dessa forma, é importante ressaltar que o maior ganho da Design Sprint são os aprendizados provenientes dos feedbacks coletados através dos testes com os usuários, que servirão de base para a construção dos próximos passos. 

Após cinco dias intensos de trabalho e aprendizado, os realizadores saberão o que fazer e por onde começar! 

Exemplos de Sucesso de Design Sprint Criados em Parceria com ONOVOLAB

Electrolux

Introdução

A Electrolux é uma multinacional sueca com várias unidades no Brasil e é líder global no ramo de eletrodomésticos e aparelhos para uso profissional. 

Em parceria com o ONOVOLAB, a Design Sprint foi realizada como etapa inicial de um projeto de inovação e executada em um dos centros de distribuição (CD) da empresa, localizado em Água Vermelha, distrito de São Carlos, interior de São Paulo.

O time de realizadores da Design Sprint Electrolux. 

Desafio

O CD da Electrolux possui uma grande quantidade de cargas que chegam todos os dias. Com isso, garantir a eficiência no recebimento, armazenamento e distribuição é uma grande preocupação dentro da operação.

O que foi feito

Para iniciar o projeto, foi realizada uma primeira visita ao local para entender como a operação funciona em detalhes com o objetivo de identificar problemas e oportunidades.

Em seguida, foi realizada a Design Sprint, reunindo pessoas com conhecimentos e perspectivas diversas, envolvendo áreas como Projetos, Digital Transformation e Operação.

Por se tratar de uma equipe grande de realizadores, foi possível priorizar dois desafios a serem trabalhados ao longo da semana de forma paralela.

Desenvolvimento das atividades da Design Sprint com o time Electrolux.

Ao longo da semana, a equipe da Electrolux criou uma grande massa de soluções e escolheu aquelas que tinham maior impacto para serem testadas.

Os testes foram feitos com o uso de um tablet, que simulava um sistema que auxiliaria os colaboradores do Centro de Distribuição a organizar de forma mais eficiente a entrada e saída de cargas.

Conclusão do Design Sprint da Eletrolux

Com os feedbacks das pessoas que participaram dos testes, conseguiu-se estimar grandes melhorias no tempo de movimentação das empilhadeiras e também na qualidade de vida dos colaboradores do centro de distribuição da Electrolux em Água Vermelha.

Dentre os principais resultados, estão uma estimativa de aumento da entrada de mais 16 mil produtos por mês no CD, eliminação de listas em papel e uma comunicação mais assertiva em todo o processo. 

A solução desenvolvida na Design Sprint está atualmente em desenvolvimento pela Electrolux, em parceria com o ONOVOLAB  e a ODM, empresa residente em nosso centro de inovação especializada em análises numéricas, estatística, otimização e inteligência artificial.

SuperQuadra Jundu

Introdução

Fundada em 1959, a Mineração Jundu é uma empresa que atua no segmento de mineração de minerais não metálicos e seus produtos atendem os mercados de fundição, vidro, cerâmico, abrasivos, filtros, produtos químicos, operações de fraturamento em poços de petróleo, entre outros. 

Recentemente, a empresa passou a investir também no desenvolvimento de pisos areia criados especialmente para campos esportivos, garantindo a performance e o conforto dos atletas. Essa ação deu origem ao projeto SuperQuadra Jundu.

Dessa forma, a empresa tem atuado na missão de se tornar uma multiplataforma com seus pisos e acessórios de quadra assinados e exclusivos; uma rede de espaços espalhada pelo país, e circuitos de competição.

A SuperQuadra Jundu. Fonte: Blog SuperQuadra Jundu

O Desafio

Com o objetivo de maximizar a experiência dos atletas da areia, a SuperQuadra Jundu tinha a intenção de desenvolver um aplicativo que pudesse conectar atletas às SuperQuadras . 

Isso incluía atividades como conseguir reservar a SuperQuadra de modo online, agendar aulas e realizar o pagamento com facilidade e conveniência.

O que foi feito

Ao longo da semana da Design Sprint foi possível desenvolver um protótipo que reunia ideias e pontos de vista de especialistas de áreas como marketing, tecnologia e até mesmo atletas e preparadores físicos. 

Construção do storyboard pelo time SuperQuadra Jundu.

O protótipo desenvolvido foi testado na SuperQuadra localizada no clube Pinheirinho Beach & Tennis na cidade de Vinhedo, com atletas e praticantes da modalidade beach tennis.

Testes com usuários da SuperQuadra. 

Os feedbacks coletados impulsionaram o desenvolvimento do aplicativo, que passou a incluir também uma área de gerenciamento de aulas, reservas e matrículas para os donos dos clubes e demais espaços que abrigam uma SuperQuadra.

Conclusão do Design Sprint da SuperQuadra Jundu

O aplicativo SuperQuadra Jundu foi desenvolvido pelo time de projetos ONOVOLAB e, ao longo desse processo, foi novamente testado com alunos e atletas de areia em diversas cidades que possuem SuperQuadras.

O app SuperQuadra Jundu.

Atualmente o app se encontra disponível para download para usuários Android e em breve será lançado para Apple, e tem chamado a atenção de clubes e escolas que pretendem ter as suas próprias SuperQuadras.

Conclusão

Agora que você já sabe como funciona a metodologia e leu sobre os resultados obtidos em duas grandes empresas, por que não tentar solucionar os seus desafios na prática de forma rápida e precisa através de uma Design Sprint?

O time ONOVOLAB pode te ajudar a tirar suas ideias do papel e transformá-las em ações!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *